Página Principal | Roteiro | Artigos | Fotos | Contato                                 Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades.

 

Muito se tem falado sobre as civilizações pré-colombianas, por conta de todo mistério e a falta de fontes históricas sobre tais povos, no entanto, o Centro de Pesquisa Odisséia, após o sucesso da Expedição Odisséia no Mundo Maia que ocorreu entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011, traz agora a Expedição Odisséia no Mundo Inca, com o objetivo de trazer para o Brasil conhecimentos mais específicos sobre esta fascinante civilização.
Os Incas fixaram-se na região dos Andes peruanos, onde encontraram condições para a prática agrícola através do grande desenvolvimento técnico inca pelo sistema de terraços, encontrados por toda região onde os incas viveram, essa técnica impedia a perda de água da chuva que em algumas regiões era muito escassa, além de criar um micro-clima favorável ao plantio impedindo que o inverno rigoroso acabasse com as plantações.
Os Incas formavam uma civilização teocrática, o povo incaico ignorou toda separação entre religião e a política. Todas as suas instituições, como todas as suas crenças, coincidiam estritamente com sua economia de povo agrícola e com seu espírito de povo sedentário. A religião era o Estado. Tinham como divindades os elementos da natureza, o Sol, a Lua a terra e os fenômenos naturais. A religião do Tawantinsuyo, ou dos filhos do Sol, venerava o astro doador da vida na terra, na chamada pacha mama ou mãe terra.
Observamos tanto entre incas, egípcios como entre os maias, que a religião, a magia, era a rota que conduzia ao trono, o monarca entre os incas e a sua família eram filhos do Sol, adorados como deuses.
Encontra-se quilômetros de estradas construídas pelos incas como parte do seu complexo sistema comercial, comparadas às construções romanas as vias estão preservadas, assim como sua arquitetura vista nos grandiosos templos erguidos em nome da fé inca, construções que lembram folhas, flores, e formas da natureza.
Este ano completamos 100 anos da redescoberta de Machu Picchu  pelo historiador Hiram Bingham no dia 23 de julho de 1911, a cidade foi preservada  pois nunca foi encontrada pelos colonizadores espanhóis, sendo considerada uma das cidades perdidas dos incas incrustadas na floresta tropical.
Sabemos de todo impacto que o encontro entre incas e espanhóis produziu no Peru, no entanto os incas continuam vivos, realizando seus rituais, falando sua língua e vivenciando ainda segundo suas tradições no Peru, a força colonial não conseguiu destruir esta cultura que lhes produzia estranheza, mas ademais, produziram uma cultura nova. Todo ouro inca, assim como todo metal precioso que foi extraído da América, produziu na Europa grandes transformações, levando o velho continente a realizar sua revolução industrial, fato que transformou o mundo de uma vez por todas, o ouro não representava para o inca, o valor capital que representava para os europeus, sua religião entendia o ouro como aquele que brilhava como o Sol e sua representação.   

Catedral de Cuzco

Machu Picchu

 Esperamos realizar uma ótima expedição, buscar para nosso país uma grande quantidade de documentos para aumentar nosso acervo sobre América Latina nos tornando referência em estudos Latino Americanos.

 

Expedição Odisseia no Mundo Inca

Realização:

Centro de Pesquisas Odisseia

www.cpodisseia.com